sábado, 15 de maio de 2010

A REGRA DA COMPOSIÇÃO

Quem sabe compor deve usar deste talento para manifestar a presença de Deus no meio de seu povo. E, a maior de todas as regras para uma excelente composição é o AMOR.

Quem ama a Deus sabe falar Dele de uma forma toda especial. O Amor é o princípio ativo de toda composição, de toda boa música católica.

Compor é "juntar os cacos" e criar uma harmonia. E Deus faz isso conosco. Ele junta tudo aquilo que em nós está perdido, desorientado, esquisito. Cria uma harmonia (cura) e escreve a mais lindas de todas as canções.

Compor é observar as peças do quebra cabeça e, pacientemente descobrir o que Deus quer falar. Compor é sentir e fazer. É rezar e sair tocando. 

Quem ama seu próximo sabe criar composições que mexam com o coração das pessoas. Quem ama vê sofrimento, dedilha notas de conforto e torna-se canal de restauração.

E um bom ministro sabe que o melhor de sua composição não está na multidão cantar suas letras. Está na edificação pessoal. A melhor música é aquela que tocou em mim. Que me restaurou. Depois é só ministrar ao povo. A minha música deve tocar primeiramente a mim. Só fala de chocolate quem ama chocolate. E é incrível: o sabor que temos pelas coisas de Deus faz com que as pessoas sintam uma fome e uma sede inacreditáveis.

Fale de Deus com Amor e você verá a quantidade de pessoas loucas querendo se apaixonar pelo mesmo Deus que vive em você.

2 comentários:

Andresa disse...

"Quem ama vê sofrimento, dedilha notas de conforto e torna-se canal de restauração"

è nessa frase que vemos a diferença da pessoa que promove Deus através de suas canções e dons e aquele que se promove através de Deus.
Pois só quem capz amar a si mesmo, ao próximo e a Deus, é capaz de "juntar cacos", de cantar e falar do verdadeiro amor.

Luís Fernando disse...

Compor, em minha opinião, é ficar atento aos detalhes...
É falar, cantar, escrever e testemunhar tudo isso.
Quando ouço uma música que me toca, percebo que alí está a mão de Deus. A música ungida, cada vez mais rara, surge de uma intenção sincera.
A música católica precisa ser eclética, ou seja, quanto mais variedade musical, mais gente sendo tocada por Deus, Curada, Liberta e Salva.
Tomemos cuidado com o conceito que envolve a música secular. Não fazemos música para fazer sucesso, e sim, para Salvar almas!

Um grande abraço e parabéns pelo Blog!